Green Swallow CBD

Abertura São Bento

Abertura à vista: São Bento Store

Agora é oficial! A nossa nova loja de São Bento já está aberta, confira nosso endereço definido!

Se você também faz parte do grupo que aguarda ansioso por essa novidade que a Green Swallow prometeu, pode relaxar e aproveitar pois o mistério acabou.

andorinha pousando

Confira as coordenadas abaixo e anote na sua agenda o dia em que estaremos esperando você com muitas novidades na nossa nova casa da marca.

Rua de 31 de Janeiro 135

4000-543 -  Porto

25/07 - DOMINGO

DAS 10:00 - 21:00

Nos vemos por lá!






Dr. Kent CBD – A Cura Tópica 

Como já sabemos, os canabinóides como o CBD, se conectam com diversos receptores espalhados por todo nosso corpo. Receptores estes que fazem parte do Sistema Endocanabinóide. Mas, há também conexões com muitos outros receptores, de outros sistemas. E é por este motivo que o uso tópico do CBD tem tanto sucesso e eficácia, pois ele se conecta à receptores que estão no maior órgão do corpo humano, a pele.

Assim ele age com suas propriedades que já conhecemos, mas de uma forma externa: acalma a pele, desinflama, tira dores... Essas ações fisiológicas do CBD na pele podem ocorrer através de um produto puro de cannabis ou de uma forma combinada com outras substâncias.

Neste artigo vamos conhecer 3 produtos da linha Dr. Kent. Cada um utiliza diferentes combinações para proporcionar alívios específicos.

Click no link para conferir esses três produtos em nosso site: https://greenswallowcbd.com/product/creme-com-cbd-dr-kent/

O primeiro é o Dr. Kent CBD GLUCOSAMINE CREAM. Ele proporciona uma sensação imediata e agradável de resfriamento e depois aquecimento, devido à ação de uma combinação cuidadosamente selecionada de princípios ativos (mentol, cânfora, salicilato de metila, óleo essencial de cravo e extrato de pimenta). Uma massagem com Dr. Kent CBD GLUCOSAMINE CREAM acalma a pele e estimula a circulação periférica e proporciona um calor que alivia e relaxa. O produto contém uma combinação de sulfato de glucosamina, sulfato de condroitina de sódio, MSM (enxofre orgânico) e extrato de cânhamo ( Cannabis Sativa L.). A glucosamina e o sulfato de condroitina de sódio são componentes das articulações e do tecido conjuntivo saudáveis. O creme é utilizado no cuidado e massagem das articulações dos braços e pernas, bem como na massagem do pescoço e coluna vertebral. 

Sendo então, esse trabalho em conjunto do CBD com a glucosamina altamente indicado para problemas nas articulações, como fibromialgia. 

O segundo é o Dr. Kent CBD SPORTS GEL que contém extrato de cânhamo ( Cannabis Sativa L.), mentol, extrato de pimenta, óleo essencial de cravo e óleo essencial de eucalipto. A combinação de ingredientes ativos cuidadosamente selecionados proporciona a sensação de resfriamento e posterior aquecimento. O gel é utilizado no cuidado e massagem das articulações dos braços e pernas, bem como na massagem do pescoço e coluna vertebral, principalmente após exercícios intensos ou atividade física. 

passando creme nas maos

O último creme dessa linha é o Dr. Kent CBD CREAM FOR TIRED LEGS que contém extrato de castanha da Índia, extrato de cânhamo, extrato de vassoura de açougueiro e enxofre orgânico (MSM). A formulação totalmente natural proporciona alívio direcionado e apoia os sistemas naturais do corpo. O produto acalma a pele, estimula a circulação periférica e proporciona um calor que alivia e relaxa, deixando as pernas frescas e leves. O creme é utilizado no cuidado e massagem de pernas pesadas e cansadas.

Sendo indicado para pessoas que passam muito tempo em pé, tem dores recorrentes nas pernas ou que precisam estimular a circulação.

Todos os cremes Dr. Kent contém 550mg de CBD, sendo portanto um medicamento que irá tratar e aliviar sintomas. Eles podem ser aliados de qualquer tratamento, e um ótimo complemento para quem toma óleo de CBD para alívio das dores. Enquanto CBD ingerido desinflama e equilibra os sistemas internos, os cremes tópicos agem localmente na dor, se conectando aos receptores do local inflamado e dolorido. 

Click no link para conferir nossos óleos de CBD no nosso site: https://greenswallowcbd.com/product-category/oleos-de-cbd/

É muito importante ressaltar que o CBD por si só não terá eficácia, ele é um excelente aliado no equilíbrio do organismo, mas precisa ser combinado com um estilo de vida saudável. Ao tentar atingir um equilíbrio enxergando o corpo como um sistema completo, mudando vários aspectos e hábitos e não apenas adicionando o CBD,  os resultados são mais rápidos e eficazes. Ao contrário estaremos a “enxugar gelo”. 

Por uma vida mais leve, natural e conectada ao CBD.

Observação: O creme com Glucosamina não é recomendado para pacientes que usam anticoagulantes. Consulte um profissional de saúde licenciado em relação a quaisquer possíveis interações ou complicações antes de usar este produto.

ÓLEOS HAPPEASE SABOR E SAÚDE 

Os óleos Happease têm a fórmula de CBD diluída em MCT, que nada mais é do que óleo de coco refinado. Vocês encontram eles nas concentrações entre 5% e 30% de CBD em frascos de 10ml. Eles são muito procurados pelo facto de terem uma gama de opções em sabores que vai de cítricos à doce ou amadeirado.

O que muita gente ainda não sabe é que esses sabores são aromas provenientes da natureza. Essas substâncias naturais aromáticas se chamam terpenos e além de eles darem essa característica aos produtos também interagem com o CBD e com  outros canabinóides e outros terpenos, ocorrendo assim um efeito conjunto entre todos eles que aumenta a eficiência de cada componente. Assim os diferentes terpenos também dão nuances distintas de efeitos no organismo, além dos distintos aromas.

As fórmulas dos óleos de CBD da Happease contém um terpeno ou uma combinação de terpenos para trazer esta variedade de sabores e efeitos que as embalagens indicam.

Click no link para conferir nossos óleos: https://greenswallowcbd.com/product-category/oleos-de-cbd/

Vocês podem conferir na tabela abaixo os terpenos presentes nos óleos Happease, cada cor representa um óleo, assim você descobre a combinação, os benefícios, e claro o sabor que contém cada uma das opções:

NOVO VISUAL CONCEPT DA GREEN SWALLOW     

Com a família Green Swallow a aumentar e o mundo do CBD e do cânhamo a expandir, resolvemos ir mais além. Como a nossa meta é oferecer sempre o melhor, decidimos investir não só na qualidade dos nossos produtos mas também das nossas lojas.

Mudamos o nosso visual!

Dos tons claros aos tons escuros, a Green Swallow agora apresenta um novo ambiente, muito mais clean, fresh e sofisticado.

Os móveis, mais minimalistas, são concebidos sob medida. Assim conseguimos não só ampliar o espaço interno como também obter uma melhor visibilidade na exposição dos nossos produtos, que merecem cada vez mais destaque.

Nossa ideia é estar em constante aprimoramento, para que os nossos clientes se sintam cada vez mais em casa e que esta casa seja cada vez mais confortável e convidativa.

Venha, entre, sinta-se em casa, sinta-se na Green Swallow!

Gotas Milagrosas

Há quem não acredite em milagres, mas essas gotas parecem fazê-los. São tantas doenças e patologias que elas aliviam, assim como são muitos os organismos diferentes que ela beneficia. Usada como preventivo, pode evitar muitos desequilíbrios em nosso corpo. E essas gotas fazem isso tudo sem causarem efeitos colaterais.

Já sabem de quem estamos a falar, não é mesmo? Das gotas de CBD!

É por esses e tantos outros motivos que as gotas de CBD são, sim, praticamente milagrosas.

Ao estudarem o corpo humano para descobrir por qual motivo os medicamentos à base de cannabis são tão positivos ao agir em nosso organismo, os cientistas descobriram o SEC, o Sistema Endocanabinóide. Ele é formado de receptores espalhados em todo nosso organismo. E as substâncias da Cannabis, conseguem juntas, ter muitíssima afinidade com esses receptores. Isto porque esse sistema é feito para se conectar com substâncias que o próprio corpo já produz, e coincidentemente, ou não, esses endocanabinóides produzidos pelo corpo humano tem quase a mesma estrutura molecular que os fitocanabinoides produzidos pela planta.

Aí a resposta do porque tantos benefícios temos com essas gotinhas: são moléculas parecidas com substâncias que já produzimos e interagem com diferentes e diversas partes do nosso sistema.

oleo de cbd no sistema recptor

Aí a resposta do porque tantos benefícios temos com essas gotinhas: são moléculas parecidas com substâncias que já produzimos e interagem com diferentes e diversas partes do nosso sistema.

Aqui na Green Swallow você encontra óleos com o espectro completo da planta, produzidos pela Pharma Hemp ou pela Happease.

Click no link para conferir nossos óleos: https://greenswallowcbd.com/product-category/oleos-de-cbd/

Algumas pessoas se assustam ao ver que nossos óleos de CBD contém até 0,2% de THC, mas essa porcentagem é essencial para nosso tratamento com o CBD ser eficaz. Essa quantidade mínima de THC não intoxica nosso corpo alterando nossa percepção, e funciona como uma chave para abrir os receptores facilitando a absorção do CBD pelo nosso organismo. Por isso é tão importante que seu óleo de CBD seja full spectrum como os que são encontrados aqui.

Os componentes da cannabis funcionam em conjunto, por isso temos orgulho do produto que vendemos, pois sabemos de sua eficácia sinérgica.

Aqui vocês encontram também diferentes óleos usados para a base das suas gotas de CBD, como óleo de semente de cânhamo, de oliva ou de coco.

Benefícios do CBD

  • Câncer: Luta contra a proliferação das células cancerígenas;
  • Insónia: Regula a produção de melatonina;
  • Epilepsia: Reduz a atividade neural que causa convulsão;
  • Dores: Super anti inflamatório;
  • Esporte: Ajuda na recuperação dos músculos.

O óleo de CBD é também um ótimo complemento no equilíbrio da saúde, prevenindo diversas doenças.

Comece hoje mesmo a equilibrar sua vida com este óleo completo! Sinta-se mais bem disposto e em harmonia com a paz.

A dose é essencial e pode variar dependendo de cada corpo e seu sistema endocanabinoide.

O CBD é responsável pela homeostase do corpo, isso significa que ele interage com nossos outros sistemas e os equilibra. Comece experimentando uma dose baixa, com duas ou três gotas ao dia, e aumente semanalmente conforme a necessidade. Ou então utilize uma dose indicada pelo seu médico especialista.

O perfume dos deuses – Cali Terpenes

As nossas queridas flores além de terapêuticas têm sabores e cheiros incríveis e diversos. Os canabinóides que já conhecemos, como o CBD, CBG ou THC, são as substâncias responsáveis pela terapia, enquanto os  terpenos são responsáveis pelos diferentes e maravilhosos aromas que encontramos nas espécies de Cannabis. Mas além dessa característica marcante, os terpenos também tem função de interagir com os canabinóides, intensificando seu efeito medicinal e dando nuances variadas aos efeitos da erva. Essa interação ocorre devido a um efeito chamado de efeito conjunto, ou em inglês Entourage Effect, que mostra um melhor resultado no organismo quando há sinergia entre essas substâncias. 

Os terpenos são encontrados de forma abundante na natureza, nas plantas, em frutas, flores ou ervas, mas principalmente na cannabis, uma planta na qual já foram identificados pelo menos 200 terpenos diferentes, dos quais muitos produtos podem se beneficiar. Na natureza sua função é proteger as plantas de predadores com seus aromas, no nosso organismo eles são responsáveis pelas nuances dos efeitos que sentimos, como por exemplo energia (terpeno limoneno) ou sedação (terpeno mirceno). Os terpenos são portanto responsáveis por esta grande diversidade de aromas e variedades de cannabis.

No entanto, é importante salientar que cada terpeno na cannabis pode ser encontrado em maior ou menor extensão em outras plantas, frutas e flores. São exatamente as mesmas moléculas aromáticas que encontramos na laranja ou na lavanda, por exemplo, que existem também na cannabis.

É por isso que a Cali Terpenes consegue produzir perfis aromáticos das variedades de cannabis  a partir de terpenos orgânicos que não vêm de cannabis, mas a partir de outras plantas , flores e frutos.

Aqui na Green Swallow você encontra os produtos de terpenos da Cali Terpenes, que é o produtor dos melhores perfis de terpenos das variedades de cannabis mais conhecidas, valorizadas e especiais do mundo:

  • Aroma e sabor fiéis a todas as variedades de cannabis .
  • Terpenos 100% puros .
  • 0% de solventes adicionados .
  • 100% legal em todo o mundo .
  • Orgânico e de origem natural .
  • Livre de transgênicos ( SEM OGM ). 
  • 0% de propilenoglicol ( PG ), 0% de glicerina vegetal ( VG ).
  • Matérias-primas de origem europeia.
Mão segurando dois frascos de terpenes

O que são os perfis de terpenos canábicos?

Como explicamos antes, os terpenos são potentes aromáticos, então os perfis de terpenos da cannabis  são perfis aromáticos das variedades de cannabis  a serem usadas em vários campos da indústria. Em uma flor pode haver diferentes combinações de diferentes  terpenos, proporcionando assim tantos perfis e espécies.

Os perfis de terpenos de cannabis da Cali Terpenes são fiéis a todas as variedades de cannabis, principalmente graças ao processo onde:

  • São cultivadas  todas as variedades de cannabis - obedecendo obviamente à lei -, desde clones originais ou clones de elite , para garantir a versão mais popular da planta .
  • São extraídos os terpenos das flores de cannabis , cultivadas em excelentes condições para garantir um perfil aromático completo .
  • Nos laboratórios é analisado o perfil aromático completo da extração de terpenos de cannabis e reproduzido fielmente com terpenos naturais provenientes de outras plantas.
  • Como resultado, a Cali Terpenes produz um perfil de terpenos idêntico ao da extração de terpenos de cannabis, mais duradouro e mais limpo que o original, livre de água, pesticidas, metais pesados ou OGM (Organismos geneticamente modificados).
tipos de terpenes

Com os produtos Cali Terpenes você será capaz de fornecer aroma e o verdadeiro sabor da cannabis a todos os tipos de produtos , basta deixar sua imaginação fluir.

Afinal, como usar seu Cali Terpenes adquirido aqui na Green Swallow?

As formas são muitas, a seguir explore algumas delas:

1)   Cigarros eletrônicos, vaporização

Os perfis de terpenos canábicos podem ser usados para adicionar sabor e aroma à base de líquido de vaporização e criar seus próprios e-líquidos com o sabor de diferentes variedades de cannabis.

Click no link para conferir nossos cigarros eletrônicos e e-líquidos https://greenswallowcbd.com/product-category/cigarro-eletronico/

Você pode fazer seu e-líquido facilmente com terpenos e uma base de líquido vaporizado feita de propilenoglicol e glicerina vegetal.

  • A Cali Terpenes recomenda adicionar uma proporção de terpenos à base líquida entre 1 e 4% no máximo (sendo 2-3% a proporção mais comum). Isso significa 1-4ml por cada 100ml de base de vaporização. Recomendamos também adicionar no máximo 20% de glicerina vegetal para reduzir ao máximo os riscos de vaporização e evitar adoçar muito o sabor do e-líquido. 

Se você está procurando e-líquidos já feitos com terpenos ou e-líquidos com CBD, você deve verificar nosso catálogo de e-líquido .

2)  Alimentos e bebidas

Na indústria de alimentos e bebidas, os perfis de terpenos têm grande potencial.

O uso de terpenos em alimentos ou bebidas aumenta enormemente a qualidade organoléptica desses produtos.

A Cali Terpenes produz mais de 45 variedades diferentes de terpenos, o que significa 45 novos sabores e aromas que podem agregar valor a molhos, salgadinhos, sorvetes e laticínios, doces, bebidas alcoólicas, refrigerantes , etc.

A proporção de terpenos a serem usados na alimentação varia enormemente porque certamente depende do tipo de alimento ou bebida usado, mas certamente é bem menos do que a proporção usada em e-liquids, por exemplo. 

De um modo geral, a proporção fica entre 0,01 e 0,03% para as bebidas e entre 0,01 e 0,3% para os diferentes tipos de alimentos . Recomendamos sempre aplicar os terpenos durante os processos a frio , procurando evitar as fortes variações de pressão (ex. Vácuo); desta forma, os terpenos não evaporam e integram-se perfeitamente na sua receita.

Aqui você tem alguns exemplos das proporções sugeridas para alimentos e bebidas :

  • Sorvete : Aproximadamente 0,025ml de terpenos a 0,1ml para 1kg de sorvete.
  • Cerveja : Aprox. 1ml de Terpenos por 3L de cerveja.
  • Água com gás : Aprox. 1 ou 2 gotas de terpenos por 1 litro de água.
  • Óleos : Aprox. 1ml de Terpenos por 3L de óleo.

3)   Cosméticos

Na indústria cosmética, os terpenos são usados há vários anos, mas o que é inovador é o uso de perfis de terpenos de cannabis.

Os terpenos da Cali Terpenes irão adicionar um aroma incrível a todos os tipos de cosméticos como cremes, bálsamos, géis de banho e shampoos que você já tem em casa. Além disso, irão trazer os benefícios das propriedades dos terpenos, não só pelo efeito entourage caso seu produto tenha algum canabinóide, mas também pelos efeitos fungicida, bactericida e antiinflamatório que os terpenos têm por natureza.

A proporção para este tipo de produtos pode variar significativamente mas, em qualquer caso, não é necessário mais de 4% .

4)   Flores de cannabis ou cânhamo

Os terpenos também são usados para aumentar e realçar o aroma do cânhamo ou das flores ( botões ) de cannabis . As plantas de cannabis geralmente têm naturalmente o máximo de 4% de terpenos, sendo então essa a quantidade máxima e ideal indicada de aplicação pela empresa produtora.

O método ideal para aplicar terpenos em botões secos, flores e ervas é o Terps Spray Cali Terpenes

Se a quantidade de ervas secas a pulverizar for muito pequena (1 a 10 gramas), pode ser mais econômico usar uma tira de papel absorvente com algumas gotas, fechada em uma caixa hermética com as flores secas. Em poucas horas, suas flores irão cheirar muito melhor.

Recomendamos manter as flores em um recipiente hermético ou a vácuo. O vácuo permitirá que os terpenos penetrem totalmente no vegetal, dando aos seus botões um aroma mais homogêneo.

5)   Extrações

É aconselhável usar entre 1 e 4% de terpenos nas extrações e extratos de cannabis , e o ideal é fazer testes com a menor proporção e aumentá-la gradativamente se necessário .

Isso significa usar no MÁXIMO 1 gota por cada 1 grama de extração de cannabis, sendo aconselhável realizar testes com 1 gota por 2 gramas ou 1 gota por 3 gramas .

A proporção de terpenos a ser usada pode variar dependendo da intensidade desejável, do tipo de extração, do tempo de extração, etc. Mas, em qualquer caso, recomendamos o uso de no máximo 4% . É muito importante fazer uma mistura boa e homogênea e esperar quase 24 / 48h para uma integração total dos terpenos .

6)   Aromaterapia

Existem muitas pesquisas sobre os benefícios dos terpenos e da aromaterapia .

Os perfis de terpenos Cali Terpenes são adequados para serem usados em todos os tipos de produtos e ferramentas para aromaterapia, como velas, difusores ou óleos essenciais .

Nosso catálogo de terpenos é muito grande, com as melhores variedades do mundo.

Existem milhares de variedades de cannabis e combinações possíveis de terpenos , por isso além dos perfis de espécies canábicas a Cali Terpenes também produz perfis de terpenos personalizados

Aqui na Green Swallow você pode encontrar os Cali Terpenes em muitos aromas e combinações, e duas formas de produtos: 

Gotas

 Usados principalmente para:

  • E-líquidos
  • Concentrados e extrações de cannabis ( colofónia, BHO, haxixe seco, destilados THC ou CBD , etc.)
  • Alimentos e bebidas 
  • Flores de cânhamo ou cannabis .

Também são usados para formular e dar sabor a diversos tipos de produtos cosméticos ( cremes, bálsamos, perfumes , etc.)

Eles são adequados para todos os tipos de instrumentos e sistemas para aromaterapia ( difusores, velas, óleos essenciais , etc.)

Esses terpenos são 100% puros, sem adição ou solventes . Você deve tratá-los com cuidado. Nosso produto não pode ser consumido sem ser diluído (exceto para degustações em vaporizadores frios, em que se deve usar terpeno puro). Uma vez diluído na proporção certa , o produto será totalmente seguro e aproveita todos os benefícios dos nossos terpenos .

Recomendamos sempre testar de menor a maior quantidade , pois nossos terpenos proporcionam um sabor e aroma intensos com facilidade . Verifique também nossa lista acima com as recomendações de diluição e uso para cada caso.

Spray

Terps Spray é um sistema revolucionário para adicionar terpenos da Cali Terpenes de forma prática a todos os tipos de produtos alimentares, flores, extratos...

Após vários anos observando as necessidades dos consumidores e produtores, Cali Terpenes finalmente oferece a solução definitiva para adicionar terpenos puros em um formato de spray conveniente .

Pela primeira vez é possível pulverizar os terpenos de forma fácil, rápida e homogênea , graças à sua micro-pulverização .

Todos os ingredientes do Terps Spray são adequados para uso em alimentos e são embalados e rotulados de acordo com os regulamentos em vigor. Ele contém nitrogênio que apenas leva os terpenos a pulverizar e não se mistura com os terpenos.

Nossos terpenos têm aplicações infinitas, mas o formato Terps Spray é usado principalmente para adicionar o aroma e o sabor de variedades específicas de cannabis a produtos como:

  • Mercearia (pratos prontos, lanches, sobremesas, ...) 
  • Flores e ervas secas
  • Extrações e resinas 

Preservação dos terpenos:

A embalagem dos nossos terpenos é ideal para uma perfeita conservação dos terpenos. Estão equipados com tampa de segurança, disco anti-fugas e tampa de rosca . Certifique-se de fechá-lo após o uso .

Os terpenos são elementos voláteis, recomendamos sempre mantê-los frios na geladeira, evitando assim uma possível evaporação durante o uso . Lembre-se de que, ao usar os terpenos, a temperatura não deve exceder 60 ° C para evitar a evaporação da maioria dos terpenos voláteis .

Mantenha sempre os terpenos Cali Terpenes em sua embalagem original, pois o vidro escuro utilizado é à prova de raios UV e é perfeito para a conservação de produtos termossensíveis ou fotossensíveis; desta forma, você pode evitar mudanças de cor, perdas ou contaminação, (os terpenos são corrosivos e podem danificar outros materiais, como o plástico).

Os terpenos na indústria:

Os terpenos são usados em uma ampla gama de produtos da indústria da cannabis.

Em geral, eles são usados em extrações de cannabis, em produtos de vaporização e em flores de cannabis ou cânhamo. Além do uso aromático, os terpenos alteram os efeitos dos canabinóides . Por exemplo, se você adicionar os terpenos de uma sativa como o Jamaican Dream  a um destilado de THC de qualquer variedade, esse destilado adotará os efeitos típicos do Jamaican Dream .

Isso permite, com o mesmo produto base, obter produtos completamente diferentes em aroma, sabor e efeito . Os terpenos trazem assim imensas possibilidades a essa indústria.

Os óleos essenciais geralmente não são solúveis em água. Como os componentes de aromas Cali Terpenes vêm de óleos essenciais de diferentes plantas, redesenham-se alguns de aromas mais conhecidos para serem muito mais solúveis em água e álcool, sem perder a essência do aroma original.

Estes aromas são especialmente solúveis em água e também em álcool, pelo que são perfeitos para a produção de bebidas, podendo garantir um sabor e aroma 100% homogéneo e estáveis ao longo do tempo.

Sobre a Cali Terpens:

  • Cali Terpenes SL está registrada como empresa exportadora na FDA (Food and Drugs Association).
  • Eles respeitam as regras e regulamentos das regras europeias de vaporização .
  • Se você precisar de arquivos técnicos ou arquivos de segurança de nossos terpenos, entre em contato com eles.
  • Prêmio de melhor produto depois de crescer no Spannabis 2019

Então resumindo:

Por que adquirir um produto de terpenos?

- Você pode utilizá-lo em diversos tipos de produtos

- Crie novas experiências com drinks e comidas aromáticas

- Você se beneficia de propriedades naturais

- Você aumenta o efeito sinérgico dos produtos com canabinóides

- Você aromatiza seus produtos com cheiros incríveis

E por que adquirir seu terpeno conosco?

- Revendemos uma marca com qualidade européia certificada que já ganhou prémios e garante alta qualidade e controle

- Nosso produto é natural e seguro

- Você pode combinar os terpenos Cali Terpens com diversos de nossos produtos como óleo de CBD, flores, e-liquids, cosméticos...

O fumo do futuro - DaVinci Miqro Vaporizer

Está tecnologia veio para inovar a forma de inalar flores de Cannabis, como as nossas deliciosas flores de Cânhamo. Além de reduzir os danos causados pela prática de fumar, melhora a experiência como um todo e possibilita um rápido resultado terapêutico.

Os vaporizadores proporcionam uma experiência super discreta e isso os da DaVinci Miqro fazem com excelência, seja pelo seu tamanho portátil que cabe em qualquer bolso ou até mesmo por seu design moderno e arrojado.

Click no link para conferir esse produto em nosso site: https://greenswallowcbd.com/product/vaporizador-davinci-miqro/

mão segurando vaporizador da vinci miqro

Além disso, na tecnologia de vaporização não há queima e combustão, então a fumaça é reduzida consideravelmente. O vapor quase não tem cheiro por sua densidade ser muito mais sutil, o que possibilita uma experiência mais agradável até em ambientes fechados.

Isso se dá pois ao invés de estarmos incendiando uma flor, estamos a cozê-la em um forninho, e só consumimos aquelas substâncias que nos interessam, neste caso o CBD e os terpenos (substância que dá cheiro e sabor a erva) sem inalar toda a matéria prima da flor, qual é a causa do fumo denso e abundante. O forninho do DaVinci ainda se destaca por ser de cerâmica, um material que não soltará nenhuma toxina ao ser aquecido,  garantindo segurança e qualidade na experiência com o vaporizador.

O controle de temperatura que o aparelho tem reduz os danos do fumo, pois irrita muito menos nossos pulmões e garganta, por ser bem menos quente do que o fumo da combustão. Esse controle de temperatura também garante o aproveitamento total das substâncias terapêuticas da Cannabis, sem desperdiçá-las em carbonização. 

O DaVinci MIQRO proporciona uma experiência ainda mais completa por ter 4 opções de temperaturas, assim ao começarmos com a temperatura mais baixa conseguimos nos beneficiar das substâncias mais voláteis que seriam desperdiçadas em contacto com o fogo, como os terpenos. Por esse motivo, esse método de consumo permite deleitarmos muito mais dos sabores intensos e diferentes que a  Cannabis tem,  em relação aos cigarros enrolados. Sem falar que evitamos assim, a inalação de qualquer tipo de papel também.

vaporizador davinci miqro portatil

Além dos diferentes cheiros marcantes, os diferentes terpenos  também podem intensificar potenciais terapêuticos em um efeito conjunto com o CBD e outros canabinóides. Consequentemente, ao vaporizarmos, e não queimarmos a erva, temos então mais benefícios terapêuticos e mais prazer degustativo.

Ao utilizar as outras temperaturas mais altas do vaporizador, mas que são mesmo assim mais controladas e menos nocivas que as altas temperaturas da queima, inalamos os outros componentes menos voláteis da flor, como os canabinóides. Estes também poderão ser aproveitados e inalados mesmo se for escolhido utilizar apenas a temperatura mais baixa, porém com mais tempo de aquecimento.

Ao terminar a sua sessão de terapia com a DaVinci MIQRO, haverá o resto de sua flor seca no compartimento de cerâmica,  que seria toda aquela matéria prima que evitamos de transformar em fumo denso em nossos pulmões.

Uso terapêutico com o Vaporizador DaVinci MIQRO:

O uso terapêutico com Cannabis pode ter resultados mais eficazes em alguns casos se feito com o método de vaporização, como no caso de dores e insônia, por exemplo.

Este fato se dá pois ao inalarmos os canabinóides eles fazem um rápido caminho até nossa corrente sanguínea, diferente de quando ingerimos um óleo ou comestível que precisa passar por todo o caminho do canal digestivo, e só metabolizado e enviado à corrente sanguínea pelo fígado. Ou seja, 1 a 2 horas depois da ingestão os efeitos terapêuticos começam a agir. 

Portanto, nestes casos onde o problema requer maior imediatismo, como necessidade de dormir e fortes dores que não podem esperar, o vaporizador é ideal, pois o caminho dos canabinóides,  como o CBD, para começarem a agir é muito mais curto do pulmão para a corrente sanguínea. Podendo ser, portanto, de apenas alguns segundos o início do efeito terapêutico por este método.

Apesar do efeito passar também mais rapidamente, ajuda muito em momentos de emergência.

Informações técnicas:

Para começar a usar o vaporizador DaVinci MIQRO basta retirar o plástico que protege a bateria de ser gasta antes do momento certo, ajustar a pérola que redefine o tamanho do seu forninho para a quantidade de flor desejada a ser vaporizada, inserir a flor, ligar o aparelho com 5 toques no botão principal e pronto. Agora é só definir a temperatura desejada nos botões "sobe e desce" e ele irá vibrar quando a temperatura escolhida for atingida, depois é só aproveitar.

Manter o DaVinci MIQRO limpo é tão fácil quanto usá-lo. A peça onde o vapor passa é removível para ser limpa com os acessórios já inclusos no kit, assim como o bocal, que também pode ser retirado para ser limpo (e ele vem em dois modelos para você escolher o que mais gostar!).

A bateria do DaVinci MIQRO é removível, este fator aumenta a vida útil do aparelho pois caso a bateria queime ela é facilmente substituída! Além, claro, se caso ela descarregue não é necessário aguardar sua recarga, apenas substituir por uma extra, e continuar sua sessão.

O forno regulável permite diferentes sessões, em grupos maiores ou sozinho, e também ajuda no controle da dose.

Além disso tudo, o kit DaVinci Miqro acompanha acessórios extras para caso sejam perdidos, como o adaptador da pérola do forninho e o auxiliar de limpeza do tubo de vapor.

Então resumindo;

Porque escolher um vaporizador?

A escolha de substituir o velho cigarro enrolado por um vaporizador pode ser muitas:

- Mais discrição (menos cheiro e menos fumo).

- Redução de danos causados pela combustão.

- Aproveitamento total da planta.

- Maior proveito degustativo, preservação do sabor .

- Efeito terapêutico mais imediato.

 E por que escolher o DaVinci Miqro Vaporizer?

- Câmara de cerâmica.

- Super compacto.

- 4 opções de controle de temperatura.

- Design elegante, e várias cores disponíveis.

- Bateria removível.

- Possibilita uma fácil limpeza.

- Tem seu forno de tamanho regulável.

- Acompanha acessórios extras, kit limpeza e carregador.

“Deus enviou CBD para mim”

Em João Pessoa, a 'Califórnia brasileira', pacientes procuram óleo de CBD para tratar casos de autismo e depressão. Entidades judicializam o direito de produzir o medicamento.

“Nem pensei em suicídio. Mas a verdade é que eu já estava me matando por dentro” , conta como se sentiu a professora aposentada Zeza Araújo, de 63 anos, ao longo da quase década em que sofreu de depressão. “Tomei tantos medicamentos que nem me lembro. Até que um dia meu médico me disse: "Não sei mais o que fazer com você. Já te dei tudo e você não melhora”. Foi então que as crianças a convenceram a tomar o óleo de maconha. “Eu não queria. Chorei e disse: mas vou tomar maconha agora? Tive muito preconceito”. Convencida, hoje mostra com orgulho a garrafa de óleo, que bebe há quase um ano. “ Deus mandou o CBD para mim ”, diz ela, com sua neta de um ano no colo.

Imagem de mão descendo do céu com uma flor de cannabis


Zeza faz parte dos 3.200 pacientes que atualmente são tratados com o óleo produzido e comercializado pela Associação Brasileira de Apoio à Cannabis Esperança (abrace), a única no Brasil com essa permissão. A entidade, criada em João Pessoa por Cassiano Teixeira, 46, passou quase três anos na ilegalidade, até que em abril de 2017, por meio de liminar, obteve autorização para funcionar. Hoje, os 2.000 pés plantados na sede da associação podem produzir 4.000 litros de óleo por mês, usado no tratamento de doenças como parkinson, alzheimer, epilepsia, depressão e câncer, não só em humanos, mas também em animais. “Comecei a importar ilegalmente, para tratar minha mãe que tinha suspeita de câncer, com os mesmos sintomas da minha tia, que morreu por causa da doença”, diz Teixeira. “Meus irmãos ficaram enojados porque disseram que eu dei drogas para mamãe. Hoje todos usam óleo ”.

Na pequena sala de espera da Abrace, uma senhora faz crochê enquanto espera sua vez e um casal de idosos segura nas mãos uma sacola com a marca de um laboratório médico. “De um modo geral, quem procura maconha já experimentou muitos outros tratamentos alopáticos”, explica Gabriel Andrade, 30, médico de família e comunidade, que atende em um posto de saúde de João Pessoa e, em alguns casos, prescreve maconha. Ele conta que os próprios pacientes já são informados sobre o uso terapêutico da planta. “As pessoas querem usar, a demanda é muito alta e por problemas diversos”, afirma. “Mas o acesso é difícil, eles acham que é algo que está muito longe do alcance deles. E muitas vezes é ”.

Hoje, existem duas formas de acesso ao medicamento; uma é por meio da Abrace, que cobra de 150 a 550 reais (mais ou menos de 25 a 100 euros) a pelo frasco de óleo, dependendo da quantidade e da concentração exigida pelo médico. Além disso, é necessário aderir à entidade e pagar uma taxa anual de 350 reais (mais ou menos 60 euros). A outra forma é importar o óleo, que exige autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (anvisa), além de laudos e solicitação médica de profissional habilitado e prescrição do medicamento.

O óleo no shampoo


Mas nem sempre foi assim. “Por Pedrinho, entramos no tráfico internacional de drogas”, diz Sheila Geriz, 45, funcionária pública, e mãe de Pedro Américo Geriz Pinto, 10, epiléptico. "Dos três meses aos quatro anos de idade, ele era como uma planta pequena em uma cadeira de rodas, apenas babando e tendo convulsões." Foi então que a família buscou informações sobre o uso da maconha no tratamento das crises epilépticas, que, segundo ela, chegavam a dezenas por dia. “Fui a um médico que riu da minha cara. Ele disse que o menino ia ficar chapado. Ele tomava 16 comprimidos por dia e ela estava preocupada que ele ficasse chapado de maconha.” Naquela época, nem era permitido importar o remédio. “Compramos o óleo nos Estados Unidos, mandamos para a casa de um amigo no país, que colocou em seringas e nos mandou em uma caixa cheia de canetas para escondê-lo”, conta. Mas em questão de meses a Polícia Federal suspendeu a ordem: “Perdemos R $13 mil, porque eu já estava comprando para outras nove crianças.” Tudo na ilegalidade.

Desesperados e sem condições de importar o CBD, os pais, que já estavam organizados em grupo, tentaram por outros meios. “Teve uma mãe que veio trazer o óleo da Irlanda, em frascos de xampu”, conta Sheila. Do grupo nasceu a Liga Canábica, entidade também de João Pessoa que conquistou na Justiça o direito de importar óleo de maconha. Hoje, Pedrinho, que na rua tem sido chamado de “menino da maconha”, só usa óleo e nada de remédio. O menino anda e passa meses sem convulsões. A própria Sheila, que é presidente da Liga, usa o óleo para as dores da artrite. “Em casa, quase todo mundo é drogado”, diz ele, rindo.

Mas é preciso ter cuidado com esse “milagre” a que muitos pacientes se referem ao falar da maconha. Embora o uso da maconha no tratamento da epilepsia e convulsões já esteja mais consolidado, não é possível afirmar, cientificamente, que a planta é usada para tantas doenças quanto afirmam seus defensores. “Ainda faltam estudos mais robustos para que possamos usar a cannabis na psiquiatria de forma mais rotineira”, diz o psiquiatra Rodrigo Martins Leite, diretor de relações institucionais do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas de São Paulo. “Ao mesmo tempo, existe uma resistência nas universidades brasileiras em estudar e verificar para que é usada a planta. Essa resistência nos atrasa em tirar conclusões mais corretas ”. Embora ele tenha permissão para prescrever drogas à base dessa planta, Leite é atencioso. “No caso da psiquiatria, verificamos a eficácia no autismo e nos transtornos de ansiedade, como os transtornos do pânico”, afirma. “Mas, no caso da depressão, ainda é uma tristeza, tem gente que melhora e tem gente que piora. Então eu não concordo com essa coisa de ser uma panaceia, que a maconha pode curar tudo. Não é o caso, os usos terapêuticos serão limitados ”, afirma.

A “corrida do ouro pela cannabis”

A cabeleireira Débora Guilherme de Oliveira, 27, saiu de Livramento, no interior da Paraíba, em busca de ajuda em João Pessoa, que tem sido chamada de “a Califórnia brasileira”. “Estou há três dias em peregrinação”, disse ela, com uma pasta de documentos, tipo receita e laudos nas mãos, e os olhos na filha, Nauany Victoria Guilherme Sales, 7, autista, epiléptica e com uma malformação do coração. Segundo a mãe, a menina só tem um rim saudável, devido à quantidade de remédio já ingerida. É por isso que ela afirma ter tanta esperança de cannabis. "Eu acho que será uma virada de jogo em sua vida." Débora foi atrás de Sheila, que, por sua vez, disse que foi atrás de outra mãe quando ela começou a procurar ajuda no tratamento de maconha para seu filho. É por meio dessas buscas que as redes estão se formando em todo o país. São dezenas de entidades e associações, formadas principalmente por pais e mães, organizadas em prol do uso da maconha para fins medicinais e que lutam na Justiça por esse direito. Sheila diz que a Cannabis League tem entre seus parceiros policiais, delegados e juízes. “A doença não escolhe”, diz ele.

O próximo passo da entidade é obter na Justiça o direito de cultivar essa planta em casa para a sua própria produção de óleo. “Ou temos a fábrica em casa ou não teremos acesso”, afirma. Em 2015, a Anvisa retirou o canabidiol - uma das mais de 100 substâncias encontradas na espécie Sativa - da lista de drogas proibidas no Brasil. Como a produção no Brasil não é permitida, a decisão apenas abriu espaço para a importação da substância. No mesmo ano, os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) iniciaram uma discussão sobre a descriminalização do uso da mesma. Naquela época, os ministros até discutiram a quantidade de plantas que cada usuário poderia ter em casa, mas o julgamento ainda não foi concluído.

No final do ano passado, a Anvisa liberou a comercialização de medicamentos à base de cânhamo nas farmácias. As decisões, embora estimulem a discussão sobre o uso terapêutico da substância, não se traduzem necessariamente em acessibilidade, pois ainda não se sabe quais custos esses remédios atingirão no Brasil. Para Sheila, a decisão é "péssima", pois não reconhece o trabalho que pacientes e entidades vêm fazendo no Brasil há anos, privilegia quem tem maior poder aquisitivo para comprar o medicamento e ignora o clima e solo férteis para cultivo no Brasil. “É um ataque à soberania nacional. “Não adianta tratar a maconha como um Tramal [um analgésico], porque não é. E é por isso que não adianta vender na farmácia ”. Cassiano Teixeira, da Abrace, acha que a decisão é um pequeno avanço, mas, na prática, pouco muda em termos de acessibilidade. “Agora vai começar a corrida do ouro das farmácias e laboratórios de cannabis”, diz ele. Rodrigo Leite argumenta que as barreiras do preconceito precisam ser derrubadas para que a medicina avance. “Chegamos a um limite em relação aos medicamentos tradicionais. Se não tivermos coragem e incorporarmos outras substâncias, ficaremos estagnados ”.

No caso da aposentada Zeza Araújo, o preconceito foi quebrado assim que ela começou a melhorar. “Antes, a melhor hora do dia era quando escurecia, porque eu podia calar tudo e dormir”, diz ela. “Hoje não. Vou à academia, estudo filosofia, me envolvi em trabalho voluntário na igreja e no ano passado viajei para três países. Tive muito preconceito, mas a maconha só me fez bem”. Ela afirma que não não toma mais nenhum remédio e que até o óleo ela só usa de vez em quando. “Eu conto na igreja que eu uso e digo que é uma planta normal. Não sei porque não está legalizada”.

Sobre Nós


A Green Swallow é uma marca, construída na base da ética e da sinceridade, que busca oferecer os benefícios de produtos com CBD e inovar constantemente para acompanhar o novo mercado do Cânhamo. Com um comportamento ecológico e responsável, trazemos um novo estilo de vida e os melhores produtos selecionados, à base de CBD, para as nossas lojas e franquias. Abrimos a primeira loja piloto de CBD em Portugal em 2019. No ano de 2018 o mercado da cannabis conheceu uma evolução impressionante, nomeadamente no mercado de ações. Isso foi favorecido pelo uso a grande escala do Canabidiol CDB que é uma substância extraída da planta e que, segundo a OMS, não representa qualquer dano para a saúde, ao contrário de outras substâncias derivadas da Cannabis. Segundo as estatísticas, o mercado financeiro da Cannabis já representava em 2018 aproximadamente 40 bilhões de euros.

Logotipo da empresa Green Swallow CBD com uma andorinha verde com asas de folha de cannabis

Hoje temos 19  franquias e 1 loja mãe, e agora seguimos para toda a Europa.

A nossa missão é a abertura e o desenvolvimento de lojas na nossa rede de franquias, para a comercialização dos melhores produtos à base de CBD, os melhores preços de mercado e atendimento personalizado. Temos a visão de  expandir para toda a Europa, com inovação, qualidade e desenvolvimento contínuo. Mudar estilos de vida e comportamentos.

Valorizamos a verdade e a transparência com os nossos parceiros e clientes, qualidade de vida, amor à natureza e sustentabilidade. Com o propósito de apresentar para o mundo os diversos benefícios dos produtos de CBD, derivados do cânhamo, e desenvolver este setor pouco explorado. Transformando vidas e revolucionando o mercado. Calma que tem muito mais. Claro que com  nossos princípios de  trabalhar com transparência e honestidade sobre o mercado de CBD e seus derivados. Responsabilidade e respeito às diversidades. Amor, carinho e atenção com nossos parceiros, clientes, com alegria e dedicação, também não podem faltar.

A aventura está apenas começando 

Entrevista de Patrick Martins sobre o estado da legislação do cânhamo industrial em Portugal.

1. A planta, vulgarmente conhecida por cannabis, tem diversas espécies e suas variações e critérios são consideradas de diferentes formas - da cannabis recreativa à cannabis medicinal. Lojas como a Green Swallow trabalham com um terceiro ramo, o cânhamo industrial. Queria começar perguntando quais são as características que balizam o enquadramento dos produtos vendidos nessas lojas? Quais são os critérios a que tem de corresponder e quem - do lado do vendedor - certifica que estes são cumpridos? 

R. O enquadramento europeu sobre esse tipo de produto é muito claro. Temos regulamentos a seguir tanto na venda, como também na origem desses produtos. Nomeadamente os produtos vendidos na União Europeia têm que ser desenvolvidos a partir de sementes averbadas no catálogo Europeu. Entrei em contato com vários advogados e todos eles deram pareceres positivos e reforçaram que os tratados internacionais, como os da União Europeia, estão acima das leis nacionais. Decidi então avançar com a primeira loja em Portugal em Março de 2019. 

No final de 2019 criamos o conceito de franquia porque tínhamos muitos pedidos de empreendedores, ou até clientes, que também queriam começar a trabalhar com esse novo ramo promissor. Existe um regulamento europeu bastante extenso e convido todos os leitores a lê-lo na íntegra. Mas de uma forma geral, os produtos com origem de cânhamo podem ser vendidos desde que o nível de THC esteja abaixo de 0,2%. O THC sendo a molécula psicoativa da cannabis, é limitado por esse regulamento europeu e a Green Swallow para certificar esses teores de THC só trabalha, e apenas trabalhou, com empresas do ramo reconhecidas na Europa. Além dos testes e certificados dos produtos facultados, antes de qualquer envio de produtos, conferimos os teores de THC com a nossa distribuição com um segundo teste. Ou seja, nenhum produto da Green Swallow vai para as prateleiras sem ter sido testado pelo menos duas vezes. 

Na realidade, este teor de THC autorizado deveria ser mais alto, uma vez que países onde os processos funcionam melhor do que em países europeus, já aceitam um teor de THC de até 1%, como o Canadá, a Suíça e a Austrália. Considerar o teor de THC abaixo de 1% foi uma decisão tomada por pessoas e entidades que não são especialistas do ramo e com a evolução do conhecimento sobre o CBD, os países estão a rever esse teor demasiado baixo. Já foi comprovado em um estudo recente da Universidade de Bolonha, na Itália, que o teor de 1% de THC não foi ressentido por nenhum dos participantes. Esses países decidiram aumentar esse limite para 1% após se comunicarem com cientistas, agricultores e produtores especializados. Dessa forma concluíram que para dar aos consumidores um produto de qualidade, esse era o teor de THC limite com o qual deveriam trabalhar. 

Infelizmente vários países que não estudaram esse novo ramo, afinal mal conseguem fazer uma boa gestão de uma pandemia que já ultrapassa um ano, sequer introduziram na legislação do país o regulamento da União Europeia supracitado. Esse é o caso de Portugal.

Por isso, criamos recentemente a Associação de Comerciantes de Cânhamo Industrial, a qual presido, representada pelo Dr. João Nabais, com o objetivo de ajudar as autoridades a estabelecer e controlar esse novo mercado que é o do Cânhamo Industrial. 

Aproveito essa entrevista para agradecer ao Dr. João Nabais por ter aceito representar a nossa Associação e pela sensibilidade ao perceber que vários casos conflituosos que envolviam autoridades e comerciantes tinham origem na falta de comunicação entres os mesmos. 

Câmera focada no segundo cientista de mudas de cânhamo

2. Num âmbito mais global, como caracterizaria os produtos comercializados? Como um suplemento alimentar ou como uma substância na ordem do tabaco e do álcool? Considera que esta ambivalência tão grande - entre o lazer e a medicina - acaba por ser prejudicial à criação de um contexto legal claro para todos? 

R. Muitas vezes me colocaram essa pergunta e com todo respeito, essa pergunta para mim não faz sentido nenhum. Como qualificaria o Ômega-3? Temos produtos que contêm Cânhamo como bolachas e bebidas e eles têm que ser comercializados como tais. 

A Comissão Europeia é bem clara sobre o tema: o CBD que pode estar presente no Cânhamo (até 0,2% de THC com tolerância até 0,3%) não pode ser considerado como uma droga e nem representa qualquer perigo para a saúde pública. Sendo assim, não sei por qual motivo um produto que contenha CBD deveria ter uma classificação diversa do que a do próprio produto. 

Manteiga com Ômega-3 continua sendo classificada como manteiga. O CBD tem propriedades assim como a camomila e óleos essenciais os têm. Essa pergunta só é colocada porque algumas pessoas querem inserir todos os ramos da Cannabis no mesmo cesto, mas existem sim diferenças entre Cannabis medicinal, Cannabis recreativa e Cânhamo Industrial. 

É por isso que durante o mandato do nosso herói nacional Durão Barroso, o regulamento sobre o CBD nasceu no seio da Comissão Europeia. Não acho que seja difícil a criação de um contexto legal claro para todos. Aliás, um deles, Cannabis Recreativa, não contempla nenhuma lei europeia e está completamente proibido em Portugal até o momento. 

Pessoalmente acredito que mais tarde ou mais cedo este também venha a ser regulado, mas isso seguramente terá que ser uma decisão nacional. Talvez o referendo seja uma boa opção para pedir a opinião pública. Temos que relembrar que em Novembro passado, à luz de todos os novos elementos sobre o Cannabis, ele foi retirado da lista das drogas mais perigosas do mundo na ONU representada pelo nosso outro herói nacional, António Guterres. 

Parece que na política é como no futebol, os melhores saem para o estrangeiro.

3. Os produtos derivados do cânhamo industrial contêm menos de 0,2% de THC - a substância psicoativa da cannabis - e percentagens variáveis de CBD. No próprio site da ASAE refere-se que segundo o regulamento europeu estes produtos são autorizados. Contudo, relatos dão conta de outras autoridades se envolvendo na investigação, porque acha que isto acontece? Porque há falta de comunicação entre as autoridades? Desconhecimento da lei ou algum tipo de preconceito - associando por exemplo às chamadas smartshops que foram proibidas em 2013? 

R. Muitas pessoas acreditam que o Cânhamo é algo recente. Na realidade as velas das nossas caravelas dos descobrimentos eram de Cânhamo. A agricultura do cânhamo nunca foi proibida de toda a história de Portugal. Os meus pais não conhecem a diferença entre Cânhamo Industrial, Cannabis Recreativa ou Cocaína. A cannabis foi proibida desde meados do século XX e os USA fizeram uma campanha de diabolização dessa planta desde então. 

Por ironia, esses três ramos mencionados representam agora bilhões de dólares de receita. Isso deve-se ao fato que eles estudaram e conversaram com médicos, especialistas, cientistas, e viram que a diabolização dessa planta não fazia sentido. 

Talvez seja uma utopia mas pensava que nas democracias, os governos promulgavam leis para o interesse do país e da população, sem que ter obrigatoriamente que passar por uma vertente econômica. 

O tabaco mata 8 milhões de pessoas por ano, mas ainda assim foi um dos poucos ramos autorizados a abrir em vários países da Europa durante um confinamento para travar uma pandemia que matou menos de 3 milhões de pessoas em um ano. Acho que falta bom senso. Não quero ser mal interpretado, não acho que o Covid não tenha que ser levado a sério, pelo contrário, acho que os governantes demoraram muito a dar uma resposta a algo tão grave e por causa disso estamos ainda a pagar o preço mais de um ano depois. 

Como eu já expliquei, existe uma falha muito importante das autoridades na não introdução do regulamento da União Europeia sobre o CBD na legislação portuguesa. Sendo assim, as autoridades não têm leis nacionais para poderem trabalhar da melhor forma. A ASAE na sua primeira apreensão na minha loja em Novembro de 2019 nem sabia o que era o Cânhamo. Mesmo assim, apreenderam-me vários produtos aleatoriamente e até hoje estou com esses produtos apreendidos. A Green Swallow era a primeira loja, não tenho nenhum ressentimento e entendo que pessoas que não foram formadas sobre esse novo ramo não o compreendam. O problema é que com esse tipo de operações as nossas empresas perdem competitividade sobre as empresas de outros países mais organizados. 

Não acho que existam preconceitos em relação às smartshops proibidas pois até onde eu sei estas vendiam, entre outros itens, produtos sintéticos que são perigosos para a saúde, enquanto nós comercializamos produtos naturais sem efeitos psicoativos. Isso talvez seja uma frase complexa para quem nunca se interessou pelo Cânhamo Industrial, mas faz toda a diferença. 

Hoje em dia acredito que a ASAE conhece melhor o nosso ramo e por isso prefere delegar a Polícia Judiciária para operações que seus próprios chefes apelidam de m**da, como foi o caso da minha última apreensão em Novembro de 2020. O mesmo acontece com os agricultores de Cânhamo Industrial que sofrem, por falta de comunicação e conhecimento, destruições da GNR ou PSP, isso porque a DGAV se desresponsabiliza do trabalho deles.

Existem organismos para nos controlar e acho muito importante, até porque todas as lojas querem ter a certeza que a concorrência é leal. Esse organismo deveria ser a ASAE e não a PJ quando se tratam de lojas. Quando se trata de agricultura, deveria ser a DGAV e não a GNR. O Cannabis Medicinal está controlado pela INFARMED, e isso parece ser bem claro. Talvez os valores envolvidos nesse ramo despertem mais interesse do que no ramo do Cânhamo Industrial, e como falta interesse, as autoridades passam a batata quente adiante. 

Mais uma vez, entendo que seja complexo sendo um ramo novo para eles, mas mesmo assim não é aceitável que sejam realizadas apreensões selvagens nas lojas. Existiram até detenções de comerciantes e agricultores em alguns casos. Isso é algo gravíssimo e que evidentemente não sai nas notícias. Alguns comerciantes foram tratados como criminosos, mesmo que, salvo um caso isolado, essas detenções tenham sido realizadas de forma pacífica pela PJ. Temos comerciantes motivados, ambiciosos, aventureiros, respeitando as leis, pagando fortunas aos advogados quando a lei Europeia é clara. Pagam também impostos, IVA, salários, Segurança Social, mas ainda assim as autoridades estão a tenta-los a dissuadir de desenvolverem a economia do negócio e por extensão do país. 

O meu objetivo com a criação, nomeadamente da nossa associação, é poder ajudar as autoridades no controle do nosso ramo. Não conheço nenhum comerciante do ramo que não esteja disponível para qualquer tipo de processo na venda dos produtos, no entanto até agora só existem apreensões e acusações por parte das autoridades. Espero que com a nossa associação, onde já temos uma trintena de lojistas, agricultores, advogados e distribuidores, nos abram a porta para podermos finalmente trabalhar da melhor forma. Isso é algo muito importante para um ramo tão promissor no nosso país que já tem dificuldades em ser competitivo. 

Acho que o único ponto que ainda pode gerar alguma confusão é entre o Cannabis Medicinal e o Cânhamo Industrial, mas isso acontece só em Portugal. Acontece pura e simplesmente porque existem muitos interesses por trás, mas para os outros países da Europa essa diferença é bem identificada. Li que o primeiro produto de Cannabis Medicinal deverá sair brevemente e contém 18% de THC. Como alguma autoridade reguladora, que têm acesso a esse tipo de informações pode fazer confusão entre esses dois ramos ? Aliás, a INFARMED já foi bem clara em diversas ocasiões, o CBD não tem que ser regulado por eles. 

Antes de abrir a minha primeira loja contactei com a INFARMED, a ASAE, a DGAV,… e tenho ainda os emails de respostas deles todos. Numa das respostas, a INFARMED deixou bem claro o fato de que ela não regulava o setor do CBD. Repito a minha pergunta, como alguma autoridade reguladora, que têm acesso a esse tipo de informações pode fazer confusão entre esses dois ramos?

4. Sente que, assim como há preconceito em relação ao consumidor de cannabis, existe preconceito também em relação ao vendedor de cannabis - mesmo que sem THC? Já o experienciou? Sentem uma necessidade de se dissociar desse universo das drogas? Afinal de contas nenhum dos produtos comercializados têm substâncias psicoativas?

R. Obviamente existem preconceitos, e não só expressões verbais que com o tempo passaram a assumir como verdades na cabeça das pessoas. A Cannabis Recreativa tem alguns efeitos que alteram a capacidade das pessoas e tem sim que ser considerado como uma droga, assim como o cigarro e o álcool. Esses dois últimos inclusive são responsáveis por muitos mais problemas de saúde e morte que o Cannabis Recreativo. Porque será que essas drogas são aceites na nossa sociedade? Existem vários países que proíbem o álcool devido aos mesmos preconceitos que alguns têm pelo Cannabis Recreativo. 

Acho que a Cannabis Recreativa, em vez de ser comparado com drogas mais pesadas, deveria ser explicado e a população sensibilizada sobre os riscos que existem, como fazemos por exemplo com o álcool. Não estou aqui para debater sobre a legalização do Cannabis Recreativo, mas pessoalmente acho que deveria ser um debate público, como é algo em cima da mesa na França, por exemplo. 

Relativamente ao vendedor de Cânhamo Industrial não sinto preconceito nenhum. Tenho um Maestrado em Negócios Internacionais, antigo atleta, não fumo, bebo álcool em escassas ocasiões, então sinceramente bem pelo contrário, senti uma incompreensão da PJ em todas as apreensões que vivi. Bom, isso de certa forma talvez seja um preconceito. 

Voltando ao meu percurso, só quero deixar claro que decidi de forma audaciosa entrar num ramo novo completamente legal, porque o ramo do Cânhamo Industrial não tem a ver com algo recreativo, mas sim com um ramo de bem estar, com um produto natural que tem propriedades de relaxamento, descontração, como muitas outras plantas têm. 

5. Apesar de legalmente estas lojas cumprirem requisitos à venda dos produtos, sente que os consumidores ainda têm algum tipo de desconfiança?

R. Como não podem ter ? 

Antes de mais nada, só se fala nas mídias do ramo da Cannabis Medicinal em Portugal, esquecendo completamente o nosso ramo que tanto lucro já deu ao nosso governo. Mesmo assim as nossas lojas em Portugal sofrem apreensões então como podemos ser competitivos com os nossos vizinhos europeus quando já temos o IVA mais alto da União Europeia, num país com um dos salários mais baixos ? 

Algumas pessoas podem comentar este argumento dizendo que o IVA que coletamos nunca é da nossa empresa, no entanto as pessoas têm que perceber que quando vendemos um produto por 10€, a nossa empresa só recebe 7,7€. Seria talvez bom podermos indicar os valores sem o IVA nesse caso, para os nossos clientes serem bem cientes do valor que nossa empresa realmente recebe de uma venda, como fazem nomeadamente nos USA. 

Outro ponto é: como justificamos essas apreensões ? Como podemos comunicar a realidade aos nossos clientes e eles não ficarem desconfiados ? Infelizmente eu tenho que passar os fatos para os meus clientes, pois eu não posso deixá-los pensar que a Green Swallow não sabe gerir a empresa, quando na realidade estamos a falar de uma empresa que em 2020 pagou cerca de 300.000€ de IVA e impostos para um lucro de 10.000€. Pois em 2020 o estado apreendeu-me 100.000€ em mercadoria. Algumas apreensões têm mais de 1 ano, e continuamos sem nenhum retorno. 

O elemento avançado pela PJ é o teor de THC que fora reportado pelas transportadoras como acima do autorizado de 0,2%. Não sei como as transportadoras podem fazer acusações dessas com produtos que nem sequer abriram e que vêm todas identificadas, com certificados e análises. Pois eu quero atacar todas essas denúncias caluniosas dessas transportadoras. Quero que essas empresas paguem por essas denúncias sem fundamentos que tanto têm prejudicado o nosso ramo. Se tivermos que ir até o tribunal europeu, quero ver como eles irão ganhar sendo que a própria comissão europeia confirma que os produtos de Cânhamo Industrial e CBD têm que circular livremente em todos os países da União Europeia. 

A desconfiança dos consumidores prende-se ao fato que as mídias e autoridades tentam alimentá-la, e obviamente conseguem. Desloquei-me no consulado de Portugal em Londres e os funcionários ficaram incrédulos com as informações que passei, pois vende-se CBD em cada esquina em Londres, devido ao regulamento da União Europeia, quando eles já nem sequer fazem parte da União Europeia. 

Como Portugal, sendo o país com a Presidência da União Europeia de momento, não segue os regulamentos ? Acho que essa é a pergunta certa, se conseguirmos responder com bom senso, tenho a certeza que já não existirá qualquer desconfiança por parte dos consumidores. 

6. As flores de cânhamo industrial vendidas nas lojas destinam-se, segundo o rótulo, a uso decorativo. Por que razão estas flores não podem ser consideradas um suplemento alimentar, como por exemplo os óleos? 

R. Os distribuidores conhecem os problemas ligados ao incumprimento dos regulamentos europeus por alguns países, o mais incrível é que são os que recebem mais ajuda da União Europeia, como Portugal, que recebe ajuda pela agricultura do Cânhamo. Como um país pode receber verbas da União Europeia por um ramo que tenta abafar e onde complica e põe em perigo a sustentabilidade das empresas que estão a desenvolvê-lo? Eu pessoalmente acho surreal, Portugal está a receber ajuda da União Europeia para o ramo do Cânhamo Industrial, mas continua abafando-o. 

Trabalho 7 dias sobre 7, 10 horas por dia no mínimo, por um salário de 600€. Com as apreensões que sofri, só consegui um lucro de 10.000€, no qual ainda tenho que pagar impostos. Somos um dos países da Europa com os impostos mais altos, e repito, num país com uma das piores economias da União Europeia. Estou ainda obrigado a pagar advogados para me defender de algo que eu não fiz, mas não posso ainda gastar mais em tentar lutar individualmente pelos meus direitos. 

Quando eu pago num só ano 300.000€ de IVA e impostos, eu acho que o governo é que têm que lutar pelo meu ramo, e não o contrário. O governo é que tem que me ajudar a desenvolver a minha atividade e ajudar-me a expandir meu negócio até fora de Portugal.

Isso é o que fazem os países civilizados e economicamente competitivos. O ramo do Cânhamo Industrial, por ser novo, é um ramo onde países com menos poder econômico que França ou Alemanha por exemplo, deveriam pegar e tentar dominar o mercado europeu. Temos um dos países da Europa com as melhores condições climáticas para agricultura de Cânhamo Industrial, e em vez de tentar desenvolver algo ao nível nacional, deixamos as chaves para as empresas Norte Americanas. 

Acho que a classificação dos produtos não é da responsabilidade dos comerciantes, mas sim do governo. Criamos a nossa Associação do Cânhamo Industrial de Portugal para ajudar neste sentido, estamos a investir o pouco que nos deixam para isso, só espero que sejamos ouvidos ao nível dos nossos sacrifícios. 

7. Que passos considera essenciais serem dados para tornar tudo mais claro? Sente que há necessidade de nova legislação ou apenas de um maior reconhecimento - social - da que já existe? 

R. Os passos a dar são dois : 

* Informação : 

Temos que passar a informação correta sobre o produto que vendemos. Esse é o nosso trabalho em lojas nomeadamente. A Green Swallow tem mais de 1.500 referências no catálogo, alguns produtos complexos, num ramo com uma evolução quase nunca vista. Não podemos passar em loja informações incorretas, muito menos desconhecer um produto ou outro. Na Green Swallow redobramos o esforço em 2021 para que os nossos vendedores sejam especialistas, que consigam responder a qualquer dúvida sobre qualquer um dos nossos produtos. Isso é um trabalho sem fim, mas é o nosso trabalho de lojistas e de pioneiros do ramo. 

A transparência e a informação certa é o que irá ajudar a desenvolver o nosso ramo e as mentalidades. Tenho concorrentes que vendem flores com teores de CBD de 20%, 25%, 30%, mas isso é cientificamente impossível. Uma flor com um teor de THC abaixo de 0,2%, só pode ter no máximo 7% ou 8% de CBD. Muitas vezes não o fazem intencionalmente, esses teores de CBD são avançados pelos distribuidores que decidem contabilizar elementos que não deveriam ser contabilizados. 

Esse tipo de informações passadas, no entanto, enfraquece a nossa mensagem para os consumidores, e pode criar alguma confusão sim. Repito, esse trabalho, por mais que o estado possa também ajudar em comunicar informações sobre um ramo do qual já tanto se aproveitou, têm que ser realizado antes disso pelos intervenientes do ramo. Na nossa associação comunicamos e trocamos regularmente informações novas, evoluções… Tenho relações cordiais com todos os intervenientes do ramo e sempre tive, isso foi um ponto fundamental para a criação da nossa Associação. 

* Legislação 

Temos em Portugal uma tendência particularmente destruidora de afastar os problemas, pensar que eles não têm soluções. Pensamos ser conservadores e fortes, quando na realidade sofremos as influências de vários países por não conseguirmos ter um ramo do nosso país desenvolvido por nós mesmos. Não temos nenhum ramo do setor terciário que não seja dirigido por empresas estrangeiras, pelo menos assim de repente não vejo nenhum. O propósito da minha associação é deixar de seguir os outros países e ficar com as migalhas como fazemos há dezenas de anos. O regulamento da União Europeia já tem anos, porque não fizemos como países como a Polônia e República Checa, que perceberam rapidamente que esse novo ramo podia ser um boost para o país? 

Estou em contato diariamente com intervenientes do ramo, ambiciosos, com vontade de desenvolver as atividades, com vontade de trabalhar, mas a falta de atitude das autoridades os fazem desistir ou passar por situações desanimadoras. São vários os comerciantes que já tiveram que desistir do ramo por falta de trabalho por parte das autoridades. 

Como o Ministério Público pode enviar regularmente a PJ para realizar apreensões selvagens nas nossas lojas e não simplesmente tentar regular o ramo do Cânhamo Industrial como deveria ter sido feito há vários anos ? Algumas entidades tentam deixar pensar que o ramo da Cannabis Medicinal e o ramo do Cânhamo Industrial é o mesmo. Pois quando essa pergunta é feita eles são bem claros sobre o fato que não têm nada a ver um com o outro. Então porque eles conseguem se comunicar com as autoridades, vendendo produtos com efeitos psicotrópicos (por mais que possam ajudar em algumas doenças), e nós com produtos apenas com traços de THC, ou seja, sem efeitos psicotrópicos, não somos ouvidos? 

O Caso Kanavape é um exemplo fantástico disso. Essa empresa francesa em novembro passado teve o parecer positivo da Comissão Europeia que confirmou que o CBD não é uma droga, que o CBD não apresenta qualquer perigo para a saúde pública e que ele tem que circular livremente pelos países da União Europeia. 

Caso algum país não queira aceitar os regulamentos europeus sobre o CBD, terá que apresentar argumentos fortes para tal. De momento não existe nenhum argumento, a não ser talvez interesses pessoais dos decisionários. Estamos ainda a aguardar o retorno da Cours d’appel d’Aix en provence , mas tudo indica que nos próximos meses teremos a primeira jurisdição sobre o tema. 

Portugal tem que rapidamente alinhar-se sobre esses regulamentos se não queremos ficar, como sempre, atrás dos países líderes da União Europeia. Muitas vezes eu ouço que Portugal é um país pequeno, com população reduzida e que vem de uma ditadura para argumentar todas as falhas do país. Mas a Alemanha vem de uma ditadura e é atualmente a 3ª ou 4ª economia do Mundo. A Suécia tem uma população menor do que a de Portugal e a Dinamarca e Holanda possuem uma superfície menor do que a de Portugal. Não temos um país pequeno, temos mentes pequenas. 

8. Do lado dos comerciantes que passos estão a ser dados? 

R. Do lado dos comerciantes estamos antes de mais nada a tentar nos recuperar desse ano desastroso que foi 2020, com restrições do Covid que deixaram tantas empresas em apuros, fora as que tiveram que fechar porta. Como eu mencionei antes, paguei esse ano 300.000€ em IVA e impostos, e recebi 0 euros de ajuda do governo… Algo que não me surpreende já que li nas notícias que não pagam nem sequer o IVA que devem as empresas.

Temos que parar com essa mentalidade de quem está acima decide, quem está acima é decidido pelos cidadãos a partida, e temos que nos questionar sobre a forma que temos de votar. Foi eleito ao primeiro turno o Sr Marcelo Rebelo de Sousa que realizou uma campanha que custou 12.000€. Alguns podem achar bom por não ter gastado dinheiro num contexto complexo economicamente, mas eu vejo de outra forma. Não acho minimamente que o Sr Presidente não seja a pessoa mais indicada para representar o nosso país, eu só relembro aos cidadãos que votam, que temos que votar por ideias, opiniões, evoluções...e não porque o nosso presidente faz fila no supermercado. 

Temos que ter algum bom senso e consciência, e fico siderado de como um candidato pode ser eleito ao primeiro turno quando tenho a certeza que nem 5% dos eleitores que votaram na reeleição do nosso presidente conhecem o programa dele. 

Do nosso lado, como já comentei várias vezes, redobramos os esforços e criamos recentemente a nossa associação dos Comerciantes do Cânhamo Industrial de Portugal. O nosso propósito é poder comunicar com as autoridades competentes de forma a poder propor um projeto de lei na Assembleia da República para poder aplicar da melhor forma em Portugal os regulamentos da União Europeia. Esse é o próximo passo que tem que ser dado, para depois disso podermos finalmente investir no nosso negócio e desenvolvê-lo talvez até fora de Portugal. 

De momento o nosso país nos asfixia, e por isso cada vez mais temos lojas de Cânhamo Industrial estrangeiras em Portugal, cada vez mais temos que ter nas nossas lojas produtos estrangeiros porque os nossos produtos nacionais estão nas mãos de estrangeiros e são transformados no estrangeiro. 

Existem vários passos a dar para os comerciantes, mas estes não poderão ser dados enquanto estamos num país que fecha os olhos quando encontra 500 kg de cocaína num jato privado, mas que faz apreensões selvagens em lojas abertas ao público e que cumprem com todos os requisitos legais. 

Espero realmente que com a nossa associação iremos conseguir sentar e nos comunicar com as autoridades para que esse ramo tenha finalmente um enquadramento claro no nosso país, e assim limitar o trabalho e as dores de cabeças não só para os intervenientes do ramo, mas também as próprias autoridades.

Patrick Martins - CEO & Fundador GreenSwallow CBD

Imagem de Patrick Martins - CEO & Fundador GreenSwallow CBD

Copyright©GreenSwallow
Proudly Designed by Cannabis Company and programmed by Funky Grafix - Do not copy this website.
linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram